Série Gente Empreendedora do Porto | Galerias Mira

Home/Série Gente Empreendedora do Porto | Galerias Mira

Série Gente Empreendedora do Porto | Galerias Mira

Na Série Gente Empreendedora do Porto entrevisto pessoas com projetos que fazem o Porto acontecer.
Hoje, a conversa é com Manuela Matos Monteiro, mentora – juntamente com o seu marido João Lafuente – das Galerias Mira: Espaço Mira,  MIRA FÓRUM e do Mira| Artes Performativas – espaço que nasceu com o intuito de ser apenas um espaço dedicado à fotografia, mas que expandiu para muito mais do que isso: hoje em dia a Rua de Miraflor, em Campanhã, alberga quatro reabilitados armazéns que aliam fotografia, arte e eventos culturais, numa dinâmica de comunidade e genuína simpatia que se estende a todo o Bairro.
Campanhã passou a estar nas bocas do Porto (e do mundo)…..
Leia tudo!

EN
At Porto Entrepreneurs Serie I interview people with projects that make Porto happen.
Today, the interview is with Manuela Matos Monteiro, the mentor – together with herb husband João Lafuente – of Galerias Mira: Espaço Mira,  MIRA FÓRUM and Mira | Artes Performativas. A place born to be a photography gallery, but expanded to much more than that: today, Miraflor Street, in Campanhã, hosts four renewed warehouses for photography, art and cultural projects, in a community dynamic and with genuine appreciation from the entire neighbourhood.
Campanhã turned out to be one of the cultural highlights of the city, and everyone talks about it.
Read everything! 

Galerias Mira

Galerias Mira

na rua de Miraflor

PT
Falar das Galerias Mira – (o espaço nasceu a 5 de Outubro de 2013) – leva-nos automaticamente para a Rua de Miraflor – rua que deu nome ao projeto – e para o bairro de Campanhã, bairro periférico da cidade e ainda com um índice de pobreza elevado.

O espaço surgiu ali por um mero acaso, como que num prenúncio de algo bom, quando – cerca de um ano antes da inauguração – uma amiga de Manuela Matos Monteiro lhe falou da existência de uns armazéns vazios e em ruína, perto da estação de Campanhã, e com um pé direito enorme e luz a entrar pelas clarabóias.

Foi amor à primeira vista para o casal de fotógrafos – Manuela Matos Monteiro e João Lafuente – que procuravam colmatar a lacuna da falta de espaços dedicados à fotografia no Porto – e foi o iniciar de um percurso e de um projeto que excedeu todas as expectativas, sendo, nos dias de hoje, muito mais do que uma simples galeria tradicional dedicada à fotografia – a ideia inicial – mas um espaço que se espalha por 4 armazéns grandes e bonitos e de portas vermelhas (os armazéns foram entretanto reabilitados), e onde acontecem atividades artísticas diversas, fazendo da Rua de Miraflor e de Campanhã uma verdadeira comunidade cultural.

“Quando aqui chegamos soubémos desde logo que seríamos nós a ter de nos adaptar à comunidade envolvente, e não o contrário.
Fomo-nos dando a conhecer, respeitando e convivendo informalmente com todas as pessoas, acabando por conquistar cada morador, e tendo genuíno prazer em receber pessoas sem estabelecer hierarquias de interesses ou classes sociais.

Os nossos eventos são de entrada livre
e temos tido sempre uma enorme adesão de público que vem de fora de Campanhã, mas também dos moradores. 

É um espaço eclético, sendo esta transversalidade que faz das Galerias Mira um espaço único – é a mistura de públicos que traz o interesse ao lugar.

Nós próprios retiramos uma incrível boa energia da comunidade,
estando em constante aprendizagem mútua, e isso é vital e enriquecedor.
É muito transformador e gratificante saber que aumentamos a autoestima das pessoas que moram por aqui
e que já dizem de sorriso nos olhos:

” a nossa rua ainda é mais bonita do que nós achávamos que era” – ou

“Campanhã começa a estar na moda e o Mira ajudou muito”.

Isto dá-me um profundo bem estar pessoal.

Manuela Matos Monteiro

Miraflor Street

EN
When we talk aboutGalerias Mira – (the place opened on the 5th October 2013) – we automatically think of Miraflor Street – the street that gave the place the name – and of Campanhã neighbourhood, a peripheral neighbourhood still with a high level of poverty.

The place happened to be there by mere chance, in a foreshadowing of something good, when – about one year before the opening –  a friend of Manuela Monteiro told her about the existence of some empty very old warehouses, close to Campanhã station, being big enough and having great light getting through the skylights.

It was love at first sight for the photographer couple – Manuela Matos Monteiro and João Lafuente – who wanted to give Porto a place dedicated to photography – and it was the beginning of a long journey and project that exceeded all expectations, being it nowadays, much more than a simple traditional Photography Gallery – the initial idea – but a place spreading through four big and beautiful warehouses (renewed) with red doors, and where artistic and cultural events take place, making Miraflor Street and Campanhã a real cultural community.

“When we arrived here we knew since the beginning that we were the ones who should adapt to the place, and not the contrary.
We started coexisting and respecting everyone, acting in a very informal way, conquering slowly every inhabitant and having the genuine pleasure to welcome everyone without hierarchies and not considering social classes.

Our events are free, and they have been attended by people outside Campanhã, but also by its inhabitants. It is an eclectic place, and it is this transversality that makes Galerias Mira a unique one – it is the mix of audience that brings interest to the place.

We get great good energy from the community, and we are constantly learning something.That is vital for us and enriching.
It is gratifying to know that we increase the self esteem of people who live here, and that we can hear the saying, with a smile in their eyes:

“this street is much more beautiful than what we thought it was” – or

“Campanhã is starting to be trendy a lot because of Mira Galleries”

That gives me a profound well being.

Manuela Matos Monteiro

Galerias Mira

Espaço Mira, MIRA FÓRUM e Mira| Artes Performativas

PT
As Galerias Mira funcionam em grande parte com exposições, sendo que no Espaço Mira (o primeiro armazém quem sobe a rua) se privilegiam trabalhos de arte contemporânea – sempre com uma referência à fotografia – , e no Mira Fórum ( as duas seguintes entradas subindo a rua) se destacam exposições de fotografia no sentido mais estrito do termo.
Há trabalhos de autores consagrados, mas também projetos de jovens a dar os primeiros passos que assim ganham alguma projeção.

O volume e a importância das exposições e dos eventos levou a que para o Espaço Mira fosse chamado como diretor artístico  – José Maia – e para o Mira Artes Performativas, a ganhar cada vez mais peso e onde há lugar a dança, yoga, música,…  , o Hugo Cruz.

Para além das exposições,
acontecem nas Galerias Mira performances diversas, como Leituras de Poesia, Jazz e Música do Mundo, Tertúlias de Viagem, Lançamentos de Livros, e o espaço é muitas vezes disponibilizado a instituições diversas que assim organizam lá os seus eventos. (normalmente Associações de interesse público.)

“Tudo isto foi acontecendo como resposta às solicitações e propostas que fomos tendo, não era a nossa ideia inicial.
Fomos estando abertos e disponíveis para receber essas propostas por parte da comunidade cultural.
E toda esta evolução tem gerado encontros vários, que ao longo dos tempos se têm transformado em verdadeiras amizades.
É muito bom sentir isso, e saber que há muitas pessoas que se encontram por causa do Mira, por causa dos eventos das Galerias Mira.

Manuela M Monteiro

Espaço Mira, MIRA FÓRUM, Mira| Artes Performativas 

EN
Mira Galleries work great part with exhibitions, : at Espaço Mira (first entrance when going up climbing the street) the focus is on contemporaneous art – always in reference to photography – and in Mira Fórum (two entrances after ) the highlight is on photography purely.
There are works from well recognised authors, but also projects from new people who can like this get some projection.

The volume and importance of the exhibitions dictated the need to have an artististic director in-house – José Maia, for Espaço Mira, and Hugo Cruz for Mira Artes Performativas.

Besides the Exhibitions,
at Mira Galleries there are many other performances taking place, such as Poetry Sessions, Jazz , World Music, Travel Talks, Book Lauching, and the place is many time at the disposal of some Institutions for their events organisations ( most of the time Associations with public interest).

“All of this happened as a response to the many and different requests we were having, it was not our initial idea.
But we were always open and available to welcome new proposals by the artistic community.
All this evolution led to many people meeting , resulting in many beautiful friendships.
It is really good to feel and to know that, that there are many people connecting only because of Mira, because of Mira events”

Manuela M Monteiro

Galerias Mira

O Porto, e a sua Gente Empreendedora

PT
Estava um dia solarengo de Fevereiro no dia que me fui encontrar com a Manuela Matos Monteiro, e a rua de Miraflor estava pacata, era um dia de semana.
Tão diferente dos dias em que acontecem as inaugurações das exposições e a comunidade se estende rua acima, mas o sossego da tarde daquele dia dava um carisma ainda maior às portas de madeira vermelhas e aos imponentes armazéns.

Ao fundo das Galerias Mira, no pequeno jardim das traseiras, um limoeiro carregado de limões como que me cumprimentou a sorrir e acompanhou toda a nossa entrevista.

E sim, no final vim de lá com dois limões a inalar perfume, mas vim ainda mais com a alma cheia e agradecida por ter a oportunidade de conhecer pessoas de grande simpatia e sorriso aberto, e que se entregam ao Porto de forma genuína.

Porto and the Porto Entrepreneurs

EN
It was a sunny February day when I was at Galerias Mira for the interview, and Rua de Miraflor was so quiet, it was during the week. So different from the days the openings of the Exhibitions take place and community and all people spread along the street. But the quietness of that afternoon was giving an extra charisma to the big red doors and to the imponent warehouses.

At the backyard of Galerias Mira, there was a lemon tree, smiling at me, during all the interview.

And yes, at the end I came home with some good smelling lemons, but besides everything I came home with a plain soul and being grateful for having these opportunities to know people with open smile, people who give their heart to Porto in such a genuine way.

Galerias Mira

Gente Empreendedora do Porto | Porto Entrepreneurs
Manuela Matos Monteiro
Signo: Aquario | Zodiac sign : Aquarius

I – Um local favorito no Porto? 

A Rua de Miraflor, claro 🙂
Mas tantos outros locais, ….por exemplo ver o Porto desde a Serra do Pilar….

II – Gosto do Porto porque?….

Gosto do Porto porque é uma cidade com a dimensão certa. Se eu quiser encontrar pessoas conhecidas, é fácil, mas se quiser estar anónima também sei para onde ir….
Gosto do Porto porque é uma cidade muito bonita e cosmopolita, uma cidade para todos.
Há algum tempo atrás quase me dava desgosto sair à rua, achava que a cidade estava cinzenta, e não era por causa do granito….; eu que sempre vivi muito intensivamente a Baixa do Porto, houve alturas em que era temeroso sair à noite, não era confortável.
Mas agora não.
Deu-se uma grande mudança, há uma grande vitalidade e a rua passou a ser um espaço de vida dos portuenses.
É quase um abraço gostar do Porto, sou muito feliz na minha cidade.

III – Se não vivesse no Porto imaginar-se-ia a viver onde?

Em Istambul.
Pela sua dimensão, pelo seu cruzar de culturas, pela sua arquitetura, a sua história.
Por ter um pé na Europa e outro na Ásia….
E porque os turcos são muito parecidos com os portugueses – (a mim muitas vezes me perguntam se sou turca…..:) , sente-se a nostalgia do grande império.

IV – Um sonho?

Um sonho à escala humana é que as pessoas possam viver num mundo sem medo.
O medo torna as pessoas menores, e quando temos medo não somos livres.
O mundo de agora está assustador (a questão dos refugiados, as questões ambientais, os vírus…) .
Quando estou noutros lugares (Vietnam, Índia, Cuba,) onde vejo como tanta gente vive, só posso agradecer por viver num lugar de privilégio, por poder andar na rua ou na praia sem ter medo de ser assaltada, por poder usufruir do bem que é não ter guerras….,
O meu sonho é viver num mundo sem medo.

Um sonho à escala pessoal, seria ter tempo para voltar a desenvolver os meus projetos pessoais, de fotografia e escrita.

Obrigada!

EN

I – A favourite place in Porto?

Rua de Miraflor, of course 🙂
But so many other places, ….for example the views from Serra do Pilar….

II -I like Porto because?….

I like Porto because it is a city with the perfect dimension. If i want to be with people, I know whee to go, but if I want to be anonymous, I also know where to….
I like Porto because it is a beutiful city, a cosmopolitain city, a city for everyone.
Some years ago it was painful to go out, I thought the city was so grey, and it was not due to the granite…; I also lived downtown life very intensely, but there were time it was scary to go out at night, it simply was not comfortable.
Now it is different.
There has been a great change, there is great vitality and the streets are now a place of life for the city inhabitants.

It’s like a hug, liking Porto, I am very happy in my city.

III – If you were not living in Porto, you could imagine yourself living where?

In Istambul.
Because of its dimension, because of its exchange of cultures, its architecture, its history.
Because it has a foot on Europe and the other in Asia….
Turkish people are very similar to Portuguese people – ( many time when I am there people ask me if I am turkish…..:) , we can feel the nostalgia of the great empire.

IV – A dream?

A dream in a human scale would be that all people could live in a world without fear.
Fear turn people smaller, when we have fear we are not free.
The world now is scary (refugees, environment issues, virus…)
When I am in other places (Vietnam, Índia, Cuba,) and I see how so mona people lives, I can only be grateful to be living in a privileged place, I can walk alone in the streets or along the beach with being afraid someone robs me, I am grateful the great Good there is to live without war …..
My dream is lo live in a world without fear.

A personal dream would be to have again time for personal projects, regarding photography and writing.

Thank You!

credits these two pictures: (1) JM_Floret (2) José Vaz Silva

Galerias Mira
Rua de Miraflor 159
4300 – 030 Campanhã, Porto
T: +351 929 145 191

Tues – Sat: 14h – 19h

www.miragalerias.net

Série Gente Empreendedora do Porto
Interview and pictures
Paula Calheiros

By | 2020-03-12T22:41:04+00:00 March 12th, 2020|porto entrepreneurs|0 Comments

Leave A Comment