Porto Entrepreneurs #XXV – Papa-Livros

Home/Porto Entrepreneurs #XXV – Papa-Livros

Porto Entrepreneurs #XXV – Papa-Livros

PT
Bem vindos à Papa-Livros e à série Gente Empreendedora do Porto. (Porto Entrepreneurs). Uma série que dá a conhecer pessoas com projetos que de alguma forma fazem o Porto acontecer.
Pessoas de diversas e diferentes áreas em que o sonho comum de criar algo próprio falou mais alto, concretizando-se definitivamente num projeto que enaltece e “mexe” com a nossa cidade.
Hoje, viajamos até ao universo dos livros infantis, até ao mundo das histórias e dos contadores de histórias, e de todo um mundo real ou imaginário que podemos encontrar na Papa-Livros – a livraria infanto-juvenil que existe na Rua de Miguel Bombarda com os livros pendurados virados de frente nas paredes e que nasceu pelas mãos de Adélia Carvalho. quem ainda não conhece?
EN
Welcome to Papa – Livros and to the Porto Entrepreneurs Serie, a serie that shows people with projects that somehow make Porto happen.
different people from different areas, whose common dream of having something of their own spoke louder and turned into a reality that dignifies and “touches” our city.
today, we travel to the children’s books universe, we will visit the world of story tellers, and a whole world, real or imaginary, that we find at Papa-Livros – the nice bookstore we can find at Miguel Bombarda Street, with books hanging on the wall, and which was born by the hands of Adélia Carvalho.
who still doesn’t know it?

Porto Entrepreneurs

PT
A Papa-Livros nasceu em 2008 e surgiu da necessidade de Adélia Carvalho criar o seu próprio emprego.
Habituada desde sempre a lidar com crianças – Adélia é educadora de infância de profissão – e com um gosto especial por trabalhar com literatura e directamente com muitos autores – trabalhar os livros era uma das suas áreas fortes – Adélia viu nessa sua mais valia uma oportunidade.
“sempre achei que um dia ia ter uma livraria, imaginava-a como as livrarias inglesas e onde se pudesse beber chocolate quente…:)
como a área infantil sempre foi a minha área predilecta, não demorei muito tempo a pensar no assunto e fiz nascer a Papa – Livros”.
“queria que o espaço fosse de algum modo diferente, e surgiu a ideia de ter os livros assim pendurados de frente nas paredes. Foi a primeira livraria do país a expor os livros de forma completamente diferente.”
EN
Papa- Livros was created in 2008, as a need of Adélia Carvalho to create her own job.
as she always had been working with children – she studied for kindergarten teacher – and has she had the special pleasure to work with books and directly with the authors – that plus was her opportunity.
I have always imagined myself having a bookstore, like the english bookstores and as a place where we could drink hot chocolate…
as the children area was always my favourite area, I didn’t spend much time thinking of it and Papa Livros was born.”
 
“I wanted the place to be somehow different, so I decided to have the books hanging on the walls like this. (front wise) It was the first bookstore in the whole country to have books shown like this.”
PT
na Papa-Livros encontramos livros, mas também eventos literários, oficinas, exposições, sessões de leitura, uma pequena cafelaria e a possibilidade de se comer bolachinhas saborosas enquanto se folheia um livro.a par da livraria, Adélia escreve – o seu primeiro livro nasceu em 2009 – O Livro dos Medos – livro traduzido e editado em vários países por esse mundo fora – seguindo-se a esse vários outros;
para além disso Adélia também tem uma editora, e ainda conta histórias infantis pelas ruas do Porto em tantos e tantos eventos organizados na cidade. (colabora ativamente com a Porto Lazer)
ahh, e tenho a certeza de que já se deparou com montras pintadas pela Baixa do Porto, com frases criativas a contar várias histórias?? sim, também são de sua autoria.
“quem está neste meio não pode estar só numa coisa. não me posso desligar da Adélia animadora, da Adélia escritora, da Adélia livreira. São várias Adélias e tudo funciona. “se eu estiver a contar uma boa história, a sessão de apresentação do livro corre muito melhor….”
De onde vem a inspiração para escrever livros infantis?
para escrever livros infantis não chega ter uma boa ideia. é preciso tratar bem o texto, temos de percorrer um caminho, deixarmo-nos sensibilizar pelas coisas, e eu vou buscar isso muitas vezes à poesia.
temos de encontrar uma dimensão poética, questionar as coisas e usar um bom jogo de linguagem, para prender a atenção da criança. Mia Couto por exemplo tem um jogo de linguagem muito forte.
“A literatura para crianças tem de ser um jogo de espantamento, e de sabermos dizer as coisas com poeticidade. 
tem de haver um nonsense misturado, o que as crianças adoram, como por exemplo na Alice no País das Maravilhas. 
e escrever para crianças é entender a Alice no país das Maravilhas”.
EN
at Papa-Livros we find books, but also literary events, and a lot of storytelling, as well as the possibility to eat delicious cookies while reading a book.

besides the bookstore, Adélias is also a writer – her first book was out in 2009 – The Book of Fears – translated and edited in a lot of countries – and following that one a lot more. Adélia is also owner of a publishing company and she is an active storyteller in  most of the events organised in the city. (she cooperates with Porto Lazer).ahhh, and I am sure you already noticed those painted shop front windows, with written phrases and words telling a story? Yes, she is the author and creator of it.

Where does your inspiration to write children’s books come from?
to write children’s books it is not enough to have one good idea. it is necessary to have a good text, we need to walk a path, we need to be inspired by things and be sensitive, and I normally get that from poetry.
we need to have a poetic dimension, and question all the things, using the right language game, so that you can catch the children’s attention. Mia Couto, for example, has a strong use of language.

“Literature for children must be a game of bewilderment, and we must know how to tell things with some poetry.
there must also be a sense of nonsense, which children love, like Alice in Wondreland. and to wite for children is to understand Alice in Wonderland”.

Porto Entrepreneurs – Adélia Carvalho with Papa-Livros

 

PT
Alguém que te tenha inspirado particularmente? 
o Álvaro de Magalhães é uma das minhas grandes referências, assim como o Manuel António Pina. Ajudaram-me a ser quem sou, cresci com eles.
No mundo dos adultos, gosto muito da escrita do Valter Hugo Mãe, ajuda-me na minha escrita para a infância.

EN
Is there someone special who inspired you?
Álvaro de Magalhães is one of my great references, as well as Manuel António Pina.. They helped me being who I am, I grew up with them.
In adults world, I really like the way Valter Hugo Mãe writes, I use his inspiration for my children’s books.

Adélia Carvalho
Signo astrológico: Virgem
Zodiac Sign: Virgo

Um local de eleição no Porto?
essa pergunta é difícil. Mas gosto muito das escadas do Codeçal. É quase como que um regresso ao passado, começamos lá em cima na Batalha, e depois ao descer levamos com aquela visão do rio, quase como uma miragem, e antes, a visão das casa pequeninas, parece que entramos no paraíso – e é isso que eu também gosto de encontrar na literatura  – a surpresa, o espantamento. E no Porto há sempre espaços que me continuam a surpreender.

Gosto do Porto porque?
É aquele sentimento de que estás em casa. um sentimento de que pertences a esta cidade. Perceber isso é quase como que uma relação – quero pertencer-lhe!
E esta cidade é isto. Então quando estou fora, o regresso é tão mas tão bom 🙂
Nunca vou conseguir cortar o cordão umbilical, mas também não quero, há um sentimento de pertença, talvez seja isso o bairrismo. Eu quero continuar a sentir a minha cidade e a sentir que faço parte dela.

Se não vivesses no Porto, imaginas-te a viver onde?
Em Barcelona. É a única cidade que se calhar consegue despertar em mim um sentimento de maior afectividade.

Um sonho?
Tenho um sonho muito grande: poder comprar um terreno enorme, muito grande mesmo, e poder colocar lá os animais recolhidos e abandonados nas cidades. Parece-me tão fácil dar um sítio digno aos animais, e continuam pessoas a tratá-los mal. Alguém tem de falar pelos animais, porque eles não falam por eles.

Obrigada! 🙂

EN
A favourite place in Porto?
this is a hard question. But I really like the Codeçal stairs. It is almost like a going back to the past. We start upstairs at Batalha, and then we start going down and we are stoked by that vision of the river, like a mirage, and also before, all those lithe houses, it’s like we are in paradise – and that is also what I really like in literature – the surprise, the bewilderment – and in Porto there are always places that still surprise me.

Why do you like Porto?
Is that feeling of belonging, a feeling of being home. And to understand this is almost like a relationship – I want to belong to it.
and this city is all about this. And when I am away, coming back is solo good! 🙂
I will never be able to cut my umbilical cord, but I even do not want to. Maybe that is called “localism” “bairrsimo”. I still want to feel my city and feel that I belong to it.

If you were not living in Porto, where could you possibly be living?
Maybe Barcelona. It is the only city that gives me that feeling of greater affection.

A dream?
I have a big dream: be able to buy a big big land soil, so that I could deliver there all the abandoned animals. It seems so easy to have a dignified place for animals, and there a lot of people treating them so badly. There must be someone talking for the animals, as they cannot speak for themselves.

Thank You!

example of front window from shop downtown with words by Adélia Carvalho

Livraria Papa-Livros
Rua de Miguel Bombarda 523
4050-383 Porto
T: +351 220931 549
Facebook/Livraria – Papa – Livros

Série Porto Entrepreneurs XXV by Viver o Porto
Adélia Carvalho/ Papa-Livros

Interview and Pictures:  Paula Calheiros

 

By | 2017-06-01T23:38:58+00:00 May 11th, 2017|general, interviews, lifestyle & people, porto entrepreneurs|0 Comments

Leave A Comment