Monday Vegetarian Recipes 3 | Diana Baptista do I Love Bio

Home/Monday Vegetarian Recipes 3 | Diana Baptista do I Love Bio

Monday Vegetarian Recipes 3 | Diana Baptista do I Love Bio

Diana Baptista

Diana Baptista do I Love Bio

 

Diana Baptista

nas Monday Vegetarian Recipes

PT

Mais uma segunda-feira, vamos conhecer a Diana Baptista, do Projeto I Love Bio.
A Dina Baptista é mais uma pessoa que faz da alimentação saudável o seu modo de vida, e que, de alguma forma, tenta promover esse estilo de vida, seja através de um blog, de um site, de workshops, de um restaurante…, e claro, vem aqui partilhar uma receita!
podem ver as minhas convidadas anteriores aqui e aqui.
a Diana não é vegetariana, mas sim macrobiótica.
e sim, existem diferenças entre estes dois regimes.
muito resumidamente, macrobiótica significa vida longa, e é um regime alimentar que preconiza a vida plena, tendo como principal alimento para os seres humanos os cereais integrais, complementados por legumes e frutas frescas, abolindo alimentos processados e refinados e quase sempre os alimentos animais. “alma sã em corpo são” é o lema. 
conheci a Diana Baptista em Agosto passado no Festival Zimp – um festival que decorre sempre em Agosto, e organizado pelo Instituto Macrobiótico de Portugal, (fantástico, se puderem vão este ano!!) e posteriormente frequentei um workshop dado pela Diana sobre o tema “Remédios Caseiros”. para além dos workshops de remédios caseiros, a Diana também ministra workshops de iniciação à Macrobiótica.
as fotos, foram tiradas no Bio Mercado, uma lojinha muito simpática dentro do Mercado Municipal de Matosinhos e um dos locais de eleição da Diana.

About Diana Baptista

ENG
Here we are on a Monday again, today with Diana Baptista, from I love Bio.
Diana Baptista a person with a healthy way of living, and who spreads that way of living through a blog, a site, workshops, a restaurant…..and who is coming here to share with us a recipe.
you can see previous guests here and here.
Diana is not a vegetarian, but she is macrobiotic. and yes, there are some differences between the two.
shortly, macrobiotic means long life, and it is a dietary regimen which proclaims whole grains are the basic food, complemented by vegetables and fresh fruits, avoiding processed and refined food, as well as mostly food coming from animals. healthy mind, in a healthy body it’s the statement.
I got to know Diana Baptista at Zimp Festival – a festival that occurs in August and is organised by The Instituto Macrobiótico de Portugal, (fantastic festival, don’t miss it this year!) and after that I attended a workshop about home remedies. besides this workshop, Diana also gives workshops on initiation to Macrobiotics.
photo session was at Bio Mercado – a nice bio shop at Mercado Municipal de Matosinhos, and  favourite of Diana.
Diana Baptista

Diana Baptista no Bio Mercado, em Matosinhos

PT

Há quanto tempo segues a alimentação macrobiótica?
– desde sempre….a minha mãe incutiu-me esse estilo de vida desde criança. parei durante a adolescência até sensivelmente aos 25 anos, porque é a idade própria em que pomos tudo em causa, em que questionamos tudo, mas depois voltei.
Quem ou o que te inspira no teu trabalho, ou no teu dia-a-dia em que cultivas este estilo de vida?
– a minha mãe foi quem sempre me inspirou. antes de eu nascer, “encontrou” a Filosofia Macrobiótica e, com uma força de vontade incrível (na década de 70 era tudo bem diferente, incluindo mentalidades, acesso aos produtos, terapias e práticas, etc..), mudou todos os seus hábitos de então e aplicou esta Filosofia Milenar à sua vida. Leu muito, estudou muito. Quando eu nasci, aplicou tudo à minha vida, mesmo ainda antes de eu nascer, durante a gravidez, com muito esforço e determinação. Não só em termos de alimentação, mas também relativamente ao nosso estilo de vida. Porque macrobiótica não é só alimentação, é tudo, é essencialmente uma forma de estar, que se reflecte em Felicidade e Harmonia com o Todo. Passa pela comida, claro, afinal “somos o que comemos”, mas passa também, por respeitar os outros seres, viver em harmonia com a natureza, usar o que ela nos dá para nos curarmos, por exemplo, pela prática de auto-massagem (do-in), por cultivar uma mente calma e serena – através de práticas de Yoga, Mantras (repetição de palavras sagradas, usadas no Budismo e no Hinduísmo e Meditação – para deixarmos que o “Ter” dê lugar ao “Ser”. Foi sem dúvida a minha mãe que me inspirou e continua a inspirar. Sem ela, o meu caminho na Macrobiótica teria sido muito mais árduo. Ela desbravou-o antes e mostrou-me tudo de uma forma simples e natural.
Onde costumas fazer as tuas compras?
– não vou sempre aos mesmos sítios, vario bastante, consoante o que preciso de comprar, os horários de funcionamento, aproveitando o melhor de cada um deles. Vou por exemplo ao Ideal Bio – que fica junto à Casa da Música – para comprar ração biológica para o Yoshi e para o Américo (os meus companheiros de 4 patas), vou ao Ervanário Portuense para compras de última hora, porque fica perto de minha casa, vou ao Suribachi – no Bonfim – para chás e pão (que é maravilhoso), ao Bio Origem – perto da Igreja da Lapa – para frutas e legumes e encomendo os cereais, leguminosas, algas, Tofu, Seitan, Tempeh…no site da Próvida, online.
Também venho algumas vezes aqui, ao Bio Mercado – que fica no Mercado Municipal de Matosinhos – sempre que tenho mais tempo disponível. Se tivesse de escolher um só espaço, em termos de diversidade de oferta (tem tudo, desde fruta e legumes bio, a pão, detergentes, produtos de higiene, cereais, etc) em termos de relação qualidade -preço (acho que é dos mais baratos) e pelo espaço em si (adoro por ser uma lojinha bio dentro de um mercado tradicional) seria sem dúvida este.
Algum restaurante vegetariano/macrobiótico que recomendes no Porto?
– vou ao Suribachi desde que me lembro (há mais de 30 anos). Foi o primeiro restaurante macrobiótico no Porto e por isso está sempre no meu coração, é como regressar a casa. Recentemente abriram muitos outros restaurantes por cá, mas mais vegetarianos do que Macrobióticos ( o que é diferente, vegetariano é só não usar produtos animais, não quer dizer que seja saudável!!). Gosto muito também do Oriente no Porto, mas não é macrobiótico. Faz parte do Movimento Hare Krishna e serve refeições vegetarianas. é muito barato (€5 euros) e fica na Baixa, o que para mim é excelente, a comida é muito boa, tem uma esplanada maravilhosa, por lá ouve-se sempre música indiana e cheira a incenso e adoro as pessoas que lá trabalham.
uma coisa que gosto, tanto no Suribachi, como no Oriente, é que têm pauzinhos (para quem preferir usar em vez de talheres). Também me sinto muito bem nestes dois restaurantes por serem locais despretensiosos e pelas pessoas que os frequentam. nôa são locais de moda – para ‘ver e ser visto’ – e isso agrada-me porque proporciona momentos mais contemplativos  enquanto se saboreia uma refeição, em vez de uma ação mecânica de comer apenas para saciar a fome, enquanto a mente continua ao sabor dos estímulos.

Some questions to Diana Baptista

ENG
How long have you been a macrobiotic?
– since ever…..my mother chose this way of life for me since I was born. well, I stopped it during adolescence until about 25 years old, this is the typically age where we question everything. but then I returned.
Who or what inspires you for your work?
– my mother is the person who always inspired me. before I was born, she discovered Macrobiotic Philosophy and with a strong will and determination changed all her habits. (by that time — the 70’s – it was everything so much more difficult, staring with the mentalities, where to buy the products, therapies….). She red and studied a lot. When I was born, she applied all the things she had learned, and that even during pregnancy. Not only regarding food, but also regarding the way of life. Because Macrobiotics is everything, essentially a way of being, which reflects itself in Happiness and Harmony with the Whole. It has to do with food, of course, because ‘we are what we eat’, but it means also respecting the others, respecting nature, and using what nature gives us to cure our illnesses, for example, it means doing self massages (do-in); it means cultivating a quiet mind, through Meditation, Yoga and Mantras (repetition of words used in Buddhism or Hinduism so that ‘what we are gets more important than what we have’.
So without no doubt, it was my mother, and still is my mother, who inspires me. She made it much more easy for me to live according to the macrobiotic philosophy.
Where do you normally buy your food and groceries?
– I go to different places, depending on what I have to buy, on the schedule and of the time I have, so that I can seize the best of all the places. I go to Ideal Bio, close to Casa da Música, to buy bio food for Yoshi and Americo (my four legs friends), I go to Ervanário Portuense, for last minutes buys, because it is close to my place, I go to Suribachi, in Bonfim, for teas and bread, which is excellent; I go to Bio Origem, close to Lapa’s church, for the fruits and vegetables, and I order cereals, tofu, Seitan, Tempeh…online at Provida.
When I have more time, I come here, at Bio Mercado – at Mercado Municipal de Matosinhos. If I had to choose just one place, I would choose here, this one. because it has a good diversity offer (food, bio vegetables, bread, detergents, hygienic products) and because of its quality – price relation – it is one of the cheapest one – ; and because of the place itself – I love the fact that it is located in a traditional Market.
Is there a Macrobiotic/Vegetarian restaurant in Porto that you recommend?
– I go to Suribachi since I can remember myself. (more than 30 years). it was the first macrobiotic restaurant in Porto, so it is in my heart, it’s like returning home. Recently in Porto there are a lot of new vegetarian restaurants – but not macrobiotic – and that is different, because it means they only don´t have nor meat neither fish, but it doesn’t mean it is healthy….
I also like a lot Oriente no Porto, but is is a vegetarian one. They belong to Hare Krishna Movement and they serve nice and cheap vegetarian meals (€5 ), it located downtown, which is excellent, and they have a nice balcony, and always indian music playing, there is smell of incense, and I love people who works there.
one thing I like in Suribachi and in Oriente is the fact they have chopsticks if you prefer to use than cutlery. also I feel good in these places, because of the people who attend them: they are not fashion places – where you go to see and be seen….and this gives the possibility to seize more contemplative moments, while you taste the food, instead of just mechanically eat to end your hunger.
A RECEITA /THE RECIPE
by Diana Baptista
PT
a Diana escolheu a sopa de miso, por ser um dos pratos típicos da alimentação macrobiótica, e por ser bastante terapêutico.
ENG
Diana chose Miso soup, as it is one of the most famous dishes from macrobiotics, and also because it is very therapeutic.
Diana Baptista

picture by Diana Baptista

Ingredientes:
miso de cevada
2 cebolas,
1/2 abóbora Hokkaido
1 tira com cerca de 5 cm de Alga Wakamé
salsa a gosto
e raiz de gengibre
Preparação:
Coloca-se a Alga Wakamé a demolhar por 10 minutos.
Lava-se a abóbora Hokkaido com uma escova de vegetais, sem tirar a casca, e corta-se em pequenos cubos. Cortam-se as cebolas em meias luas.
Junta-se a abóbora e as cebolas numa panela grande com água e liga-se o lume no máximo, com tampa fechada.
Quando ferver, adiciona-se aAlga Wakamé cortada em pequenas tiras. deixa-se cozinhar cerca de 15 minutos.
Desliga-se então o lume e adiciona-se sumo de gengibre (ralar a raiz de gengibre e espremer o sumo da polpa)
Na tigela, de cada vez que servir a sopa, coloca-se o Miso: 1 colher de sobremesa por cada tigela de sopa, dissolve-se muito bem, na sopa quente.
Na tigela colocam-se ainda uma s folhas de salsa ou outra revinha a gosto.
Nota:
O ideal é que todos os ingredientes sejam biológicos, usar um tacho inox, fogão a lume, ou, se for electrico, com placa indutora e água da fonte ou mineral.
A Sopa de Miso é muito reconfortante, prepara o estômago para receber os outros alimentos, e pode ser usada tanto ao pequeno-almoço como antes do almoço ou do jantar. (2 tigelas por dia, no máximo).
O miso é um alimento fermentado, muito nutritivo e com diversas propriedades terapêuticas.

***english version of the recipe soon!

 

Monday Vegetarian Recipes #3 by Viver o Porto
Diana Baptista
I Love Bio

facebook aqui.

 

 

Obrigada Diana!

By | 2020-01-30T19:22:05+00:00 February 23rd, 2015|lifestyle & people, recipes, veggies and yoga|0 Comments

Leave A Comment